SOA – A relação com BPM no sucesso da automação de processos

Esse é o quarto de uma série de artigos do nosso blog que estão abordando o tema SOA, conceito antigo e atual que está enraizado nas atividades cotidianas da iProcess.

No primeiro post nós respondemos à pergunta: o que é SOA? Já no segundo definimos o que é um serviço e, no terceiro, trouxemos algumas estratégias que podem ser utilizadas na definição e na escolha de bons serviços candidatos.

Nesse post vamos abordar a relação entre SOA e BPM para garantir o sucesso da automação de processos.

Mercado está mais exigente
O mercado hoje está cada vez mais desenvolvido, informado, informatizado e em busca de soluções capazes de traduzir em resultados eficazes e eficientes as necessidades de empresas e seus clientes. Grandes são os investimentos em pessoal, sistemas e infraestrutura (incluindo a nuvem) que, muitas vezes, não revertem em resultados positivos.

Também não é raro encontrarmos empresas que possuem um grande emaranhado de sistemas que não são capazes de trocar informações entre si, ou processos administrativos que devem se adaptar a sistemas informatizados que não refletem a cultura e a realidade da empresa. O processo inverso – pessoas tendo que se adaptar a sistemas – também tem efeitos técnicos e humanos sérios, comprometendo as atividades e os resultados corporativos como um todo. Tudo isso sem falarmos dos sistemas redundantes e da montanha de dados de difícil (ou impossível) acesso, que impossibilitam o retorno esperado pelos gestores, que necessitam de relatórios detalhados e atualizados para tomar decisões mais acertadas.

Confusões
Existe um pouco de confusão quando falamos de BPM e SOA, seja acidentalmente, por desconhecimento dos conceitos, seja intencional, visando a promoção de produtos e serviços. Vemos alguns fabricantes de software afirmarem que “a nossa plataforma de SOA inclui ótimas ferramentas de mapeamento e redesenho de processos” ou então afirmam que “a nossa plataforma de BPM inclui um fantástico ESB”. Já algumas pessoas afirmam que “SOA deve iniciar com o redesenho dos processos“.

Relação de SOA com BPM
SOA (arquitetura orientada a serviços) e BPM (gerenciamento de processos de negócio) nascem em resposta à essas necessidades empresariais, tanto para a área de TI (SOA) quanto para a área de negócio (BPM). Ambas não foram criadas ontem (existem há pelo menos 15 anos). Então por que, agora, se fala tanto da relação entre as elas? Vejamos.

SOA é uma filosofia de TI que visa facilitar a integração entre sistemas orientando a criação e disponibilização de soluções modulares e fracamente acopladas baseadas no conceito de serviços.

SOA ajuda a TI a pensar as soluções de tecnologia de forma integrada mas com baixo acoplamento (sistemas com pouca dependência de outras funções e aplicações). Também ajuda a organizar os sistemas e as soluções corporativas, já que é a TI que deve pensar a melhor maneira de resolver os problemas do negócio (veja mais no artigo SOA – Arquitetura Orientada a Serviços).

BPM é um modelo de gestão dos processos de negócio que necessita de ferramentas de TI como apoio. É fundamental nas mãos de profissionais da área de negócio que querem aperfeiçoar os seus processos internos e garantir qualidade na entrega dos serviços.

E aqui temos a principal relação entre SOA e BPM, entre TI e negócio: um precisa do outro, um depende do outro. A TI não pode implantar sistemas sem conhecer o negócio. Já a área de negócio não pode implantar nada sem o suporte da TI.

A TI não pode implantar sistemas sem conhecer o negócio. Já a área de negócio não pode implantar nada sem suporte da TI.

Normalmente BPM é uma iniciativa da área de negócio que quer organizar os seus processos e pede auxílio à TI para fazer isso de forma automatizada. Já SOA costuma ser uma iniciativa da área de TI, com o objetivo de melhorar a sua eficácia.

BPM facilita e orienta a definição do portfólio de serviços, já que:

  • processos são consumidores de serviços;
  • serviços são atividades/funções de negócio e, portanto, fazem parte de algum processo;
  • é o método natural e alinhado ao negócio;
  • permite rastreabilidade (matriz processo x serviço);
  • possui um crescimento incremental.

A conclusão, assim, é óbvia: o alinhamento entre a área de negócio e a de TI é certamente o melhor case de sucesso para a empresa. Podemos inclusive citar alguns dos benefícios desse ‘casamento’:

Abaixo temos uma imagem que ajuda a compreender melhor a relação entre SOA e BPM, que vai do alto nível do modelo de negócio até o baixo nível da infraestrutura:

Nessa imagem fica claro que a colaboração entre a TI e a área de negócio é a fórmula mágica do sucesso. Isso requer que a TI invista tempo para aprender e compreender profundamente as necessidades da área de negócio e a área de negócio desenhe seus processos da forma mais coerente, detalhada e transparante possível e auxilie a TI na sua implementação.

Essa colaboração alinhada certamente tratá benefícios para toda a empresa, em todos os níveis – do administrativo ao gerencial.

2 ideias sobre “SOA – A relação com BPM no sucesso da automação de processos

  1. Pingback: Anônimo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>