Webinares iProcess 2015 – Plataformas BPM: Como um mesmo requisito pode ser atendido de formas diferentes

Nesta postagem, compartilhamos a gravação do webinar de “Plataformas BPM: Como um mesmo requisito pode ser atendido de formas diferentes”, apresentado pelo Carlos Mortari em 16/07/2015.

Este foi o terceiro seminário da série de webinares da iProcess em 2015, realizado ao vivo! Mais uma vez, nosso agradecimento especial aos participantes que acompanharam a transmissão on line e contribuíram enviando suas dúvidas e questões sobre o tema.

Os slides da apresentação também estão disponíveis no slideshare:
http://pt.slideshare.net/iProcessBPMeSOA/plataformas-de-bpm-comparando-requisitos-webinares-iprocess-2015

Confira abaixo resposta para pergunta enviada durante o evento:

Pergunta: “Em uma organização que ainda está iniciando sua empreitada, com BPM (de 1º ou 2º nível de maturidade) em qual momento devemos partir para o investimento em uma plataforma de BPMS, que tem um alto custo para a organização e que necessita também de investimentos adicionais em treinamentos. A partir desta decisão quais requisitos de plataformas, poderia nos levar a usar um “open source” (bonita por exemplo) vs uma licença paga (oracle, tibico, IBM, etc)? “
Resposta: Idealmente, a escolha da plataforma que irá suportar as iniciativas de BPM deveria ser feita no início, num cenário em que esteja claro para a organização quais são as suas necessidades atuais e futuras. A escolha de uma ferramenta “quebra-galho” para tocar iniciativas de processos pode até atender num primeiro momento, mas existe o risco de apresentar dificuldades e limitações posteriormente, quando a empresa já está mais estruturada e pode necessitar de uma solução mais robusta para apoiar o gerenciamento de processos. Nestes casos, existe a chance de ocorrer retrabalho e necessidade de migração dos processos de uma solução para outra.
Quanto a ferramentas open source, elas podem ser uma boa alternativa quando se deseja testar os recursos de uma solução de BPMS e realizar provas de conceito, por exemplo. Porém, é preciso ficar atento porque em alguns destes produtos as versões “free” não oferecem recursos bem importantes, podendo limitar o uso da solução em produção. Além disso, embora possam existir fóruns de discussão e membros da comunidade atuantes, a falta de um suporte oficial e SLAs definidos podem gerar dificuldades, caso sejam encontrados problemas em ambiente de produção que necessitam de solução mais urgente.

Quer participar dos próximos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>