Blog da iProcess - Compartilhando conhecimento em BPM e RPA

Qual a diferença entre automação, robotização e inteligência artificial?

Qual a diferença entre automação, robotização e inteligência artificial? Em algumas situações esses termos são usados como sinônimos, mas nem sempre eles significam a mesma coisa. Entenda nesse artigo como reconhecer as diferenças e semelhanças entre esses termos tão comuns nas discussões de tecnologia hoje em dia.

Em algumas situações esses termos são usados como sinônimos, mas nem sempre eles significam a mesma coisa. 

Dentre eles, automação talvez seja o termo mais abrangente, pois significa literalmente transformar algo em automático.

Um fluxo de trabalho pode ter o controle da sua execução automatizado através de um sistema de BPMS.

Por exemplo o “Processo de Compras Corporativa”, que consiste em uma sequência de atividades indo da solicitação, passando por negociação, seleção do fornecedor, aprovação, pedido, confirmação da compra e pagamento.

O fluxo trabalho de um processo de negócio que não é automatizado geralmente se baseia em trocas de e-mails e documentos entre os participantes, com controles manuais ou paralelos das etapas que já foram executadas, os prazos e o acompanhamento onde o processo está pendente (você provavelmente já viu alguma planilha eletrônica sendo usada para controlar isso). É bastante comum nesses casos que uma pessoa fique responsável por acompanhar onde está cada caso e fique cobrando os responsáveis.

Quando usamos um BPMS, dizemos que o processo foi automatizado porque o seu controle passa a ser executado via um fluxo bem definido e controlado, que aplica regras para determinar a próxima atividade, o próximo participante, controlar prazos e condições para a execução de cada tarefa. Cada etapa encerrada automaticamente ativa a próxima e as execuções deixam informações de rastreabilidade, permitindo consultar via relatórios e gráficos onde está e por onde passou cada caso daquele processo.

Um script de integração que transfere dados de um sistema A para um sistema B também pode ser considerado uma automação, pois será executado automaticamente pelo sistema. A integração aplicará internamente as regras para validar os dados, copiar da origem e gravá-los no sistema de destino.

A robotização implica em reproduzir um trabalho que seria feito manualmente, por uma ou mais pessoas, para ser executado da mesma forma (usando os mesmos recursos) só que por um sistema automatizado.

Um braço robótico, por exemplo, é usado para movimentar automaticamente um objeto de um ponto A para um ponto B, substituindo um trabalho que seria feito por uma pessoa.

Da mesma forma, com a tecnologia de RPA, os robôs de software podem executar a sequência de ações necessária para realizar uma tarefa, como navegar em páginas web, copiar dados, organizar e inserir informações em um ou mais sistemas, gerar relatórios, tudo isso operando o computador como uma pessoa faria, utilizando operações de teclado e  mouse.

Assim, podemos entender que toda robotização é uma forma de automação, embora nem toda a automação seja feita por robotização.

Já a inteligência artificial é uma área da computação bastante abrangente, que reúne técnicas e tecnologias diversas para reproduzir o comportamento ou o raciocínio lógico humano, a análise a partir da correlação de informações, bem como a identificação e classificação de padrões visuais, sonoros e de dados.

Dentro das diversas técnicas de inteligência artificial temos, por exemplo, o aprendizado de máquina e as redes neurais. Através dessas técnicas, o sistema identifica correlação entre os dados e aprende a partir da identificação de padrões. Quanto mais frequente for um padrão, maior o nível de confiança da inteligência artificial sobre aquela informação.

O conjunto de informações que é fornecido para o aprendizado de máquina determina os elementos que ele usará para criar as relações entre os dados e, a partir disso, as redes neurais, que determinam os caminhos possíveis para chegar a uma conclusão.

Se o conjunto de dados for, por exemplo, registros de pacientes com dezenas de indicadores de saúde, sintomas e o respectivo diagnóstico, a inteligência artificial pode aprender, a partir da análise dos padrões, qual a chance de um novo paciente, com determinados sintomas e resultados de exames, apresentar uma doença A, B ou C.

Uma vez que o aprendizado for realizado, a inteligência artificial terá criado as redes neurais para classificar estas doenças e poderá fazer isso automaticamente, no lugar de um analista humano, geralmente com maior agilidade e precisão (mas tudo depende da qualidade dos dados!).

A inteligência artificial também pode ser considerada uma forma de automação, mas como você mesmo pode concluir, nem toda automação é feita através de inteligência artificial.

Já a relação entre robotização e inteligência artificial é mais forte, uma vez que a robotização é uma forma de uso de tecnologia para reproduzir um comportamento humano, ainda que limitado. Muitos robôs começam com automações mais simples e vão sendo incrementados com recursos de inteligência artificial, tornando-se assim mais autônomos e avançados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS VISTOS

Temos uma mensagem especial de boas festas para você! ... (continuar lendo)
Veja agora as ações que foram realizadas através das doações de todos os participantes deste... (continuar lendo)
Como transformar as ideias de mudança para um processo TO BE em ações efetivas, controladas... (continuar lendo)

Inscreva-se na nossa Newsletter

seers cmp badge