BAM – Uma visão geral

Em um artigo anterior, tivemos uma breve explicação sobre uma ferramenta de BAM que pode ser utilizada para realizar o monitoramento de atividades do negócio.

Achamos que é hora de aprofundar um pouco mais este conceito. Então vamos começar novamente do básico: O que exatamente é o BAM?

BAM é a sigla para Business Activity Monitoring, que é uma tecnologia que permite realizar o monitoramento em tempo real de indicadores de desempenho da empresa. Isso possibilita a tomada de decisão de uma forma mais ágil, a partir da análise desses indicadores. Existem ferramentas de BAM que permitem, inclusive, a execução de planos de contingência baseado em gatilhos previamente definidos, como por exemplo o envio de alertas por e-mail quando um determinado indicador está fora dos limites definidos.

Algumas características importantes deste tipo de tecnologia:

  • É voltada para a ação imediata a partir do acesso à informação;
  • BAM é focado no que está acontecendo, não o que aconteceu, ou pode acontecer;
  • BAM fica, desta forma, posicionado entre o foco histórico e analítico do BI e o planejamento futuro de negócio do CPM (Corporate Performance Management).

Com uma ferramenta de BAM é possível, por exemplo:

  • Monitorar processos:
    • Acompanhar as etapas;
    • Identificar problemas ou gargalos;
  • Realizar agregações de dados provenientes de diferentes sistemas:
    • Realizar médias, somas, agrupamentos, cálculos;
  • Processar eventos complexos:
    • Correlação de eventos isolados;
    • Identificar ameaças e oportunidades;
  • Obter informações de contexto:
    • Acompanhar desempenho histórico;
    • Evolução da média;

Normalmente as ferramentas de BAM são oferecidas em ambiente Web, desta forma facilitando o acesso.

Uma ferramenta de BAM disponibiliza uma interface gráfica para exibição de dados diversos de negócio, normalmente em um formato de dashboard (ou simplesmente um “relatório”).

Dashboard é o termo utilizado para designar uma série de gráficos que são visualizados de forma conjunta, onde cada gráfico pode ser de um tipo diferente (ex: gráfico de pizza, gráfico de barra), cada qual exibindo informações relacionadas a uma determinada informação/indicador de negócio. Normalmente um dashboard irá exibir informações relacionadas a um determinado contexto/área de negócio, como por exemplo indicadores relacionados a área de logística ou a área de suporte de TI. Veja um exemplo de dashboard na imagem abaixo:
A arquitetura de um produto BAM pode variar de acordo com a ferramenta. Podemos, no entanto, descrever a arquitetura usual da seguinte forma:

  • Interface de desenvolvimento: é a interface que permite o desenvolvimento dos gráficos pelos desenvolvedores e a definição dos dados pelos arquitetos;
  • Interface de apresentação: é a interface dos usuários finais com a ferramenta, permitindo a visualização dos dashboards implementados;
  • Base de dados:  é o repositório das informações que são exibidas na camada de apresentação do BAM. Muito embora as fontes dos dados exibidos no BAM tenham origem sempre em outros sistemas (ex: BPMS, ERP, Banco de Dados, etc), as ferramentas de BAM normalmente possuem uma base de dados própria para armazenamento destas informações, assim diminuindo a necessidade de buscar as informações a todo momento nos sistemas de origem;
  • Camada de integração: é a camada que permite a integração da ferramenta de BAM com outros sistemas e fontes de dados, para armazenamento na base de dados própria da ferramenta;
  • Interface de administração:  se encarrega, por exemplo, da definição de usuários e perfis/restrições de acesso, bem como integrações com repositórios de usuários existentes (ex: AD, LDAP);
  • Camada de Monitoramento de Alertas/Ações: em ferramentas de BAM que a possuem, é responsável por verificar a alteração e desvio dos valores dos indicadores e disparar ações de tratamento  (ex: envio de e-mail ou SMS de alerta)

Um dos principais aspectos relacionados a uma ferramenta de BAM é que a ferramenta não é fonte/origem de dados, ou seja, ela não “cria” nenhuma informação, mas apenas consolida e exibe dados provenientes de outros sistemas ou fontes de dados. Neste sentido, temos normalmente 2 cenários:

  1. Ferramenta de BAM que faz parte de uma suite de BPMS: o BAM é um dos módulos da solução de BPMS. Neste caso, a ferramenta está habilitada a exibir informações provenientes dos processos automatizados na solução.
  2. Ferramenta de BAM que é um produto independente:  neste caso o produto normalmente tem uma arquitetura mais robusta e abrangente, permitindo assim que os dados provenham de diferentes origens, também podendo ter integração nativa com ferramenta de BPMS. Alguns exemplos de origens de dados que podem ser enviados para a ferramenta de BAM:
    • Dados de aplicações, transições de estado;
    • RFID e sensores;
    • Sistemas de mensagens (JMS, MQSeries, etc);
    • Bancos de Dados;
    • ERPs;
    • Sistemas legados diversos;
    • etc;

Bons resultados no monitoramento da atividade do negócio com BAM não dependem apenas da ferramenta, mas da definição de bons indicadores, buscando a visão equilibrada de indicadores direcionadores e indicadores de resultados. A definição de medidas, métricas e indicadores já foi tema de artigo em nosso blog. Confira em: http://blog.iprocess.com.br/2014/05/medidas-metricas-e-indicadores/

Em futuros artigos, vamos falar dos benefícios na utilização de uma solução de BAM, bem como dos principais passos e cuidados que devem ser tomados para iniciar projetos neste tipo de tecnologia. Fique ligado!

 

9 ideias sobre “BAM – Uma visão geral

  1. Pingback: BAM – Uma visão geral | Gestão por Processos e Projetos | Dharana Ventura

  2. Excelente artigo Carlos. Parabéns!
    Obrigatoriamente ao instalar o BAM, eu preciso ter nativamente um banco instalado (Oracle 12C), por exemplo ? Ou posso simplesmente instalar em uma máquina independente, e apontar apenas os “resultados”pra ele, para que seja gerado em tempo real o relatório de indicadores ?

  3. Olá Rodrigo,

    Que bom que gostou do artigo!

    Sim, para instalar o BAM você precisará ter um banco de dados: o Oracle BAM se utiliza a infraestrutura do SOA Suite, e este necessariamente precisa de um banco de dados para ser instalado. Além disso o próprio Oracle BAM armazena os dados de monitoramento em banco de dados.

    Att,
    Carlos Mortari

  4. Excelente artigo!

    Aliás, li vários artigos hoje aqui no blog que estão me auxiliando muito nos estudos para um concurso que farei.

    Obrigada!!!

  5. Que bom Paula!
    Em nome do time da iProcess posso dizer que ficamos felizes em saber que estamos contribuindo para o crescimento e desenvolvimento de outros profissionais na comunidade de BPM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *