BAM – Uma visão geral

Em um artigo anterior, tivemos uma breve explicação sobre uma ferramenta de BAM que pode ser utilizada para realizar o monitoramento de atividades do negócio.

Achamos que é hora de aprofundar um pouco mais este conceito. Então vamos começar novamente do básico: O que exatamente é o BAM?

BAM é a sigla para Business Activity Monitoring, que é uma tecnologia que permite realizar o monitoramento em tempo real de indicadores de desempenho da empresa. Isso possibilita a tomada de decisão de uma forma mais ágil, a partir da análise desses indicadores. Existem ferramentas de BAM que permitem, inclusive, a execução de planos de contingência baseado em gatilhos previamente definidos, como por exemplo o envio de alertas por e-mail quando um determinado indicador está fora dos limites definidos.

Algumas características importantes deste tipo de tecnologia:

  • É voltada para a ação imediata a partir do acesso à informação;
  • BAM é focado no que está acontecendo, não o que aconteceu, ou pode acontecer;
  • BAM fica, desta forma, posicionado entre o foco histórico e analítico do BI e o planejamento futuro de negócio do CPM (Corporate Performance Management).

Com uma ferramenta de BAM é possível, por exemplo:

  • Monitorar processos:
    • Acompanhar as etapas;
    • Identificar problemas ou gargalos;
  • Realizar agregações de dados provenientes de diferentes sistemas:
    • Realizar médias, somas, agrupamentos, cálculos;
  • Processar eventos complexos:
    • Correlação de eventos isolados;
    • Identificar ameaças e oportunidades;
  • Obter informações de contexto:
    • Acompanhar desempenho histórico;
    • Evolução da média;

Normalmente as ferramentas de BAM são oferecidas em ambiente Web, desta forma facilitando o acesso.

Uma ferramenta de BAM disponibiliza uma interface gráfica para exibição de dados diversos de negócio, normalmente em um formato de dashboard (ou simplesmente um “relatório”).

Dashboard é o termo utilizado para designar uma série de gráficos que são visualizados de forma conjunta, onde cada gráfico pode ser de um tipo diferente (ex: gráfico de pizza, gráfico de barra), cada qual exibindo informações relacionadas a uma determinada informação/indicador de negócio. Normalmente um dashboard irá exibir informações relacionadas a um determinado contexto/área de negócio, como por exemplo indicadores relacionados a área de logística ou a área de suporte de TI. Veja um exemplo de dashboard na imagem abaixo:
A arquitetura de um produto BAM pode variar de acordo com a ferramenta. Podemos, no entanto, descrever a arquitetura usual da seguinte forma:

  • Interface de desenvolvimento: é a interface que permite o desenvolvimento dos gráficos pelos desenvolvedores e a definição dos dados pelos arquitetos;
  • Interface de apresentação: é a interface dos usuários finais com a ferramenta, permitindo a visualização dos dashboards implementados;
  • Base de dados:  é o repositório das informações que são exibidas na camada de apresentação do BAM. Muito embora as fontes dos dados exibidos no BAM tenham origem sempre em outros sistemas (ex: BPMS, ERP, Banco de Dados, etc), as ferramentas de BAM normalmente possuem uma base de dados própria para armazenamento destas informações, assim diminuindo a necessidade de buscar as informações a todo momento nos sistemas de origem;
  • Camada de integração: é a camada que permite a integração da ferramenta de BAM com outros sistemas e fontes de dados, para armazenamento na base de dados própria da ferramenta;
  • Interface de administração:  se encarrega, por exemplo, da definição de usuários e perfis/restrições de acesso, bem como integrações com repositórios de usuários existentes (ex: AD, LDAP);
  • Camada de Monitoramento de Alertas/Ações: em ferramentas de BAM que a possuem, é responsável por verificar a alteração e desvio dos valores dos indicadores e disparar ações de tratamento  (ex: envio de e-mail ou SMS de alerta)

Um dos principais aspectos relacionados a uma ferramenta de BAM é que a ferramenta não é fonte/origem de dados, ou seja, ela não “cria” nenhuma informação, mas apenas consolida e exibe dados provenientes de outros sistemas ou fontes de dados. Neste sentido, temos normalmente 2 cenários:

  1. Ferramenta de BAM que faz parte de uma suite de BPMS: o BAM é um dos módulos da solução de BPMS. Neste caso, a ferramenta está habilitada a exibir informações provenientes dos processos automatizados na solução.
  2. Ferramenta de BAM que é um produto independente:  neste caso o produto normalmente tem uma arquitetura mais robusta e abrangente, permitindo assim que os dados provenham de diferentes origens, também podendo ter integração nativa com ferramenta de BPMS. Alguns exemplos de origens de dados que podem ser enviados para a ferramenta de BAM:
    • Dados de aplicações, transições de estado;
    • RFID e sensores;
    • Sistemas de mensagens (JMS, MQSeries, etc);
    • Bancos de Dados;
    • ERPs;
    • Sistemas legados diversos;
    • etc;

Bons resultados no monitoramento da atividade do negócio com BAM não dependem apenas da ferramenta, mas da definição de bons indicadores, buscando a visão equilibrada de indicadores direcionadores e indicadores de resultados. A definição de medidas, métricas e indicadores já foi tema de artigo em nosso blog. Confira em: http://blog.iprocess.com.br/2014/05/medidas-metricas-e-indicadores/

Em futuros artigos, vamos falar dos benefícios na utilização de uma solução de BAM, bem como dos principais passos e cuidados que devem ser tomados para iniciar projetos neste tipo de tecnologia. Fique ligado!

 

7 ideias sobre “BAM – Uma visão geral

  1. Pingback: BAM – Uma visão geral | Gestão por Processos e Projetos | Dharana Ventura

  2. Excelente artigo Carlos. Parabéns!
    Obrigatoriamente ao instalar o BAM, eu preciso ter nativamente um banco instalado (Oracle 12C), por exemplo ? Ou posso simplesmente instalar em uma máquina independente, e apontar apenas os “resultados”pra ele, para que seja gerado em tempo real o relatório de indicadores ?

  3. Olá Rodrigo,

    Que bom que gostou do artigo!

    Sim, para instalar o BAM você precisará ter um banco de dados: o Oracle BAM se utiliza a infraestrutura do SOA Suite, e este necessariamente precisa de um banco de dados para ser instalado. Além disso o próprio Oracle BAM armazena os dados de monitoramento em banco de dados.

    Att,
    Carlos Mortari

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>