Oracle SOA Suite 12c – novidades desta nova versão

A mais nova versão lançada pelo Oracle do SOA Suite, a 12c, apresenta muitas novidades e promete melhorias em desempenho e interface. Neste artigo apresentamos uma visão geral das novidades apresentadas pela Oracle, baseada no documento disponibilizado pela empresa nomeado “What’s New in Oracle SOA Suite 12c”.

Introdução

O aumento inevitável da complexidade das integrações e novos desafios apresentados pelo mundo atual, como a integração com as aplicações na nuvem, com os dispositivos móveis e a Internet das Coisas (“Internet of Things”, IoT), foram os pilares para o desenvolvimento desta nova versão. O Oacle SOA Suite 12c foi desenvolvido com foco na simplificação das integrações destes desafios em uma única plataforma baseada em padrões de mercado.

Integração com a nuvem

O recentemente lançado Oracle Cloud Adapters simplifica a integração das aplicações na nuvem com a infraestrutura já existente, oferecendo, além de conectividade baseada em padrões, bases para auditorias, conformidade, segurança e governança.

Eles permitem que o desenvolvedor não precise desenvolver lógicas específicas para gerenciar as conexões, focando na lógica de negócio. Para a criação dos adapters, são oferecidos assistentes com opções e configurações.

Em resumo, a maioria das nuances da integração com as aplicações na nuvem, tais como gerenciamento de sessão, tratamento de arquivos WSDL complexos e segurança são tratadas pelo próprio adapter, reduzindo a possibilidade de erros, o ciclo de desenvolvimento e o custo de manutenção.

Também foi disponibilizado o Cloud Adapter SDK, onde é possível criar o seu próprio adapter utilizando a mesma ferramenta usada pela Oracle. Ela oferece um conjunto de APIs, tanto para situações em tempo de projeto quanto em tempo de execução.

Dispositivos móveis

Atualmente os usuários exigem a possibilidade de utilizar seus smartphones e tablets para acessar os dados corporativos e aplicativos de negócio, onde e quando quiserem. Para ajudar nesta mudança de paradigma, o Representational State Transfer (REST) e o JavaScript Object Notation (JSON) surgiram como padrões dominantes para expor serviços e APIs para dispositivos móveis.

O Oracle SOA Suite 12c incluiu o REST bindind no JDeveloper para simplificar a exposição das implementações tradicionais do SOA Suite para dispositivos móveis. Ele está disponível para os composites SOA e para os serviços do Service Bus, permitindo expor interfaces e invocar serviços REST externamente.

Internet das Coisas (IoT)

Os dispositivos e aparelhos estão se tornando cada vez mais conectados, e a internet das coisas está se fazendo muito presente. Neste cenário, o Middleware atua como uma ponte entre os dispositivos e as aplicações corporativas.

Processamento de eventos é parte integrante desse tipo de plataforma, pois grande quantidade de dados são enviados dos dispositivos e é essencial distinguir que dados são importantes e quais não são.

O Oracle Event Processing (OEP) vem com a promessa de análise em tempo real e dados em alta velocidade, se tornando uma solução para construir aplicações IoT para filtrar, correlacionar e processar os eventos. Nesta nova versão, a Oracle integrou mais fortemente a plataforma OEP com o Oracle Service Bus (OSB) e com o Oracle SOA Suite Event Delivery Network (EDN).

Managed File Transfer

O Oracle Managed File Transfer (Oracle MFT) é um produto novo desta versão, que permite trocas de arquivo seguras, gerenciamento entre departamentos internos e parceiros externos e facilidade de uso, especialmente por pessoal não técnico. As suas capacidades de relatório permitem obter um status da transferência do arquivo e o seu reenvio, se necessário.

B2B

O Oracle B2B 12c foi integrado mais fortemente com o Oracle SOA Suite e Oracle Managed File Transfer. Os usuários do B2B podem enviar e receber mensagens no Oracle B2B utilizando o Managed File Transfer, além da possibilidade da transmissão de documentos grandes. Para melhoria de gerenciamento e monitoramento, o B2B foi integrado com o SOA Error Hospital, comentado posteriormente. Para simplificar a experiência dos usuários que utilizam Web Services no B2B, foi adicionado o suporte ao Local Policy Attachment para configuração de segurança de Web Services.

Melhoramentos para produtividade

  • Instalação rápida: o processo foi simplificado, e para ambientes de desenvolvimento oferece uma base onde todos os componentes do SOA Suite são instalados, além do JDeveloper com o servidor WebLogic integrado e todas extensões .
  • Interface unificada de desenvolvimento: foi dado um passo para integrar os componentes do Oracle SOA Suite, Oracle Service Bus (OSB) e o Oracle Event Processing (OEP). Foram criadas interfaces e editores no JDeveloper para o desenvolvimento de projetos do OSB e OEP integrados e compartilhando recursos já presentes anteriormente.
  • Templates: novos recursos que ampliam a possibilidade de compartilhamento e reuso de serviços e componentes, permitindo a customização de modelos de projetos, de componentes, de grupos de atividades em um processo BPEL e pipeline do OSB.
  • Subprocessos BPEL: promovem o reuso e compartilhamento de fragmentos da lógica de negócio, que podem ser inline (dentro de um processo BPEL) ou standalone (externo).
  • Melhoramentos no depurador: foi incluído no JDeveloper um depurador visual, como um depurador java, que permite definir pontos de parada nos composites SOA, processos BPEL e pipeline do OSB.
  • Melhoramentos nos testes: o SOA Suite test framework foi aprimorado, onde as entradas e saídas podem ser geradas automaticamente ou carregadas de um arquivo, mensagens podem ser verificadas, serviços externos e falhas podem ser emuladas e os testes podem ser rodados diretamente do JDeveloper, mostrando relatórios detalhados de cada rodada de testes.
  • Novos adapters: novos adapters de aplicação e tecnologia estão disponíveis nesta nova versão. Eles são o Oracle Adapter for SAP R/3, Oracle Adapter for JD Edwards World, Coherence Adapter, Oracle Adapter for MSMQ, Oracle Adapter for LDAP e o melhorado UMS Adapter.
  • Novas funcionalidades nos adapters: foi ampliado o suporte ao SOA Suite, Service Bus e projetos BPM, ativação e desativação agendada, integração com o depurador, monitoramento e diagnóstico no Enterprise Manager Fusion Middleware Control (EM).
  • Tradução e transformação de dados: foi estendida a habilidade de tradução do native XSD (nXSD) para os processos BPEL, Service Bus e Mediador. Inclui também um novo editor para XQuery, fornecendo uma visão bidirecional para a construção de módulos e bibliotecas XQuery 1.0. Houve também aprimoramentos no XSLT Mapper, permitindo o uso do Design View para lógicas maiores e mais complexas, a introdução de duas novas visões (Map View e XSLT View), entre outros melhoramentos.

 Melhoramentos de gerenciamento

  • Gerenciamento dos projetos OSB: todas as operações e tarefas de gerenciamento do OSB foram movidas para o Enterprise Manager Fusion Middleware Control, porém as configurações dos serviços continuam disponíveis no Service Bus Console juntamente com o JDeveloper.
  • Melhoramentos no Enterprise Fusion Middleware Controlforam implementadas mudanças para melhorar a responsividade e simplificar a administração e o tratamento de problemas diários. Entre as mudanças estão o redesenho do dashboard SOA principal, o melhoramento das pesquisas, a prevenção ao carregamento inicial de dados excessivos e o melhoramento no rastreamento das instâncias (incluindo Service Bus, B2B e Managed File Transfer). Também foi criado o Error Hospital para agregar as instâncias que geraram falhas, baseado em vários critérios, permitindo assim realizar ações corretivas coletivamente.
  • Alertas de notificação de falhas: alertas de falha podem ser enviados aos administradores automaticamente, ou por agendamento, por vários canais de comunicação como e-mail e SMS.
  • Melhoramentos para desempenho: esta nova versão utiliza os gerenciadores de trabalho do servidor WebLogic. Isto simplifica a configuração e permite ao SOA efetivamente utilizar os recursos disponíveis. Esta versão também fornece perfis de banco de dados pré-ajustados para automaticamente habilitar características de desempenho apropriadas, baseadas no tamanho esperado dos dados.
  • Enterprise Scheduler Service: novo componente que permite agendar a execução de componentes SOA ou serviços. Também pode ser utilizado para ativar ou desativar adapters que estão realizando pooling em horários específicos.
  • Integração contínua: esta versão fornece um plugin Maven que permite os times de desenvolvimento criar, construir, empacotar e realizar deploy de projetos SOA. Através do Maven, um servidor de integração contínua pode ser utilizado para gerenciar os projetos SOA.

 Melhoramentos adicionais

  • Criptografia de informações pessoais: devido ao Enterprise Manager Fusion Middleware Control expor as mensagens aos administradores, foi adicionada a possibilidade de realizar a criptografia de campos específicos da mensagem.
  • Fault Policy Editor no BPEL: nesta versão as politicas de falhas podem ser configuradas utilizando a interface visual Fault Policy Editor.
  • SOA Design-Time Meta Data Services Repository: foi criado um repositório MDS baseado em arquivos para ser usado em tempo de desenvolvimento. Ele é automaticamente configurado quando a aplicação SOA é criada.
  • Aceleração da inicialização: novos perfis modulares permitem iniciar a plataforma SOA em subconjuntos de funcionalidades, reduzindo o tempo médio de inicialização da plataforma. Outra novidade quanto a isso é a possibilidade de realizar o carregamento dos composites apenas quando utilizados.
  • Re-sequencer no Service Bus: este recurso permite que o Service Bus ordene as mensagens baseado em uma informação sequencial ou cronológica.

 

2 ideias sobre “Oracle SOA Suite 12c – novidades desta nova versão

  1. Uma dúvida. Quando eu necessito de um controle transacional, por exemplo, inserir dados de mestre/detalhes em tabelas diferentes em um banco de dados, eu consigo fazer rollback da transação toda usando composto BPEL, tendo os adapters JCA no mesmo composto, ou a partir de um composto que faça a orquestração chamar 2 outros compostos BPEL, um para mestre e outro para detalhes.

    Quando uso o OSB na versão 11g, não consigo esse controle transacional, se eu criar o JCA no OSB ou mesmo virtualizar o composto BPEL essa propriedade muito importante não pode ser usada.

    No 12c existe uma forma de ter o controle transacional, de uma transação global, conseguindo fazer rollback de toda trasação?

  2. Olá Claudecir. Na versão 12c foi extendido o uso de Web Services Atomic Transactions (WS-AT) também para o Oracle Service Bus (OSB).

    Pode-se encontrar mais informação na documentação da Oracle:
    https://docs.oracle.com/middleware/1213/core/WSCPT/jrf-ws-at.htm#WSCPT264

    O uso de transações entre serviços requer cuidados adicionas nas configurações de ambiente. Em especial o tempo de timeout das chamadas síncronas dos serviços que utilizam transações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>